Como uma gerente de RH conseguiu melhorar o transporte dos colaboradores?

13 nov 2019

Acabei de chegar à empresa nesta manhã chuvosa de quarta-feira. Começo a analisar os relatórios trimestrais de produtividade, satisfação e qualidade de vida dos nossos colaboradores e identifico uma melhora significativa.

Essas análises oferecem para a nossa equipe de recursos humanos, da qual eu sou a gerente, diretrizes para traçar planos de melhorias. De três em três meses, fazemos uma pesquisa com nossos colaboradores para saber o efeito concreto do nosso planejamento estratégico.

Foi em uma dessas pesquisas que identificamos os transtornos e o estresse causados pelo transporte. Muitos dos nossos funcionários gostavam do ambiente de trabalho, da empresa, dos benefícios e do incentivo que damos com cursos, aulas e palestras, mas reclamavam que o trajeto para ir e voltar do trabalho era muito cansativo, ainda mais em dias de chuva.

Os transtornos do trajeto que impactam a produtividade

Quando nos deparamos com esse problema — e quando digo nós, me refiro a toda minha equipe de RH —, fomos entender a fundo o que estava acontecendo e nos demos conta que era um transtorno que também nos afetava, inclusive acarretando prejuízos financeiros. Analisando as possibilidades, chegamos a algumas conclusões. Por exemplo, o transporte público é a alternativa mais viável, mas é extremamente lotado; o metrô não tem linhas suficientes e os atrasos são constantes. Em outras palavras, o transporte público era um verdadeiro calvário.

Vir para a empresa no próprio veículo é uma opção, mas nossos funcionários são numerosos, e dirigir por mais de 2 horas de congestionamento é uma aflição sem fim. Não há bom humor que resista a buzinas, cortadas e, às vezes, até acidentes. Debruçamo-nos nesses prós e contras, pontuamos e decidimos buscar uma solução efetiva e que fosse economicamente viável para a empresa.

Algumas opções que encontramos eram ambientalmente interessantes, mas financeiramente inviáveis. Outras iam na contramão da consciência ambiental. Pesquisamos o que as outras empresas estavam fazendo para melhorar o transporte dos seus empregados e, em uma dessas buscas, encontramos um aplicativo que mudou o cenário de produtividade e satisfação no mundo corporativo: o bynd!

As alternativas convencionais já não são suficientes

Percebemos que o aplicativo era exatamente o que estávamos procurando pelo orçamento que tínhamos disponível. Afinal, o vale-transporte que oferecíamos era oneroso e não oferecia nenhum conforto para quem precisava dele. Outras empresas diziam que o aplicativo tinha melhorado aspectos importantes da qualidade de vida no trabalho, pois assegurava comodidade e segurança no trajeto de casa para o escritório.

Aprofundando nossas pesquisas, notamos que o aplicativo tinha como objetivo principal fazer com que os colaboradores compartilhassem caronas. Isso era uma vantagem, já que muitas vezes cada funcionário dirigia o seu veículo, o que significaria uma queda no número de veículos usados diariamente ao aderir ao aplicativo. A lógica é simples: menos carros, menos congestionamento!

Outro benefício que percebemos era que as redes de caronas eram fechadas. A empresa pagaria um valor por uma assinatura mensal, e só os nossos funcionários poderiam compartilhar as caronas. Os “matches” são automáticos e agrupados por rota; pessoas que moram próximo dividem o carro. A proposta era vantajosa uma vez que, se a empresa tivesse que fazer essas associações por conta própria, demandaria tempo e provavelmente não daria resultados no médio e longo prazo.

Decidimos fazer uma experiência e inserir o aplicativo na nossa cultura organizacional. Outro ponto que contou a favor da ideia de compartilhar caronas é que somos uma empresa sistematicamente preocupada com questões ambientais. Portanto, repassamos esses costumes a todas as pessoas que trabalham conosco direta ou indiretamente, já que o uso do aplicativo contribui para a diminuição da emissão de gases poluentes.

Os resultados são melhores que o esperado

Depois de uma maciça campanha de divulgação interna, esclarecendo dúvidas e oferendo suporte, vimos que os colaboradores foram perdendo o habitual medo do novo e aderindo ao projeto de caronas compartilhadas. Os primeiros resultados foram excelentes. Talvez a grande mudança tenha ocorrido pelo ânimo das pessoas ao chegarem para trabalhar. Elas ficam menos irritadas e mais comunicativas, isso é perceptível.

O ambiente e a comunicação melhoraram porque muitas pessoas, que mal trocavam algumas palavras, hoje dividem o caminho de casa para o trabalho e descobrem afinidades. A produtividade é outro aspecto que teve um aumento significativo de 15% no primeiro trimestre de implantação. Pode parecer óbvio, mas antes as pessoas tinham que gastar energia para lutar por uma vaga no transporte, enquanto hoje elas fazem o mesmo percurso que faziam antes, porém com mais comodidade e segurança.

Ambiente, comunicação e produtividade influenciam diretamente no que chamamos de indicadores de qualidade. Nossa empresa preza e valoriza muito seus funcionários e talentos. Por isso, buscamos sempre aprimorar as condições para que eles desempenhem suas funções da melhor maneira possível. Ter esse cuidado de avaliar os transtornos causados no caminho entre casa e trabalho, e procurar uma solução, impactou nos nossos lucros e dividendos.

O bynd otimizou a qualidade e a satisfação dos funcionários

O bynd foi uma saída financeiramente viável se comparada ao nosso sistema antigo de vale transporte. Humanamente essencial, porque valoriza as pessoas que trabalham conosco, e ambientalmente favorável, pois o número de veículos nas ruas diminui, puxando para baixo os índices de poluição.

Sentimos que estamos fazendo a nossa parte, avaliando o contexto e valorizando o meio ambiente e as vidas humanas. Essa é e sempre foi a nossa política de gestão, que já está intrínseca em nossa cultura organizacional. Pessoas que se sentem valorizadas pela empresa também a valorizam, produzem e se empenham mais. É um ciclo que pretendemos impulsionar.

Já renovamos nossa assinatura do aplicativo de viagem compartilhada e estamos sugerindo algumas melhorias, como uma possível colaboração financeira entre os usuários. Sentimos que os desenvolvedores do bynd também sabem nos ouvir e estão implantando inovações constantemente.

A melhor maneira de avaliar os impactos da nossa decisão são os relatórios que eu tenho em mãos no momento. Eles não me deixam mentir: a decisão de adotar o aplicativo como forma de melhorar a locomoção dos nossos funcionários gerou frutos. A tendência é que no médio e longo prazo esses números melhorem e, se as novidades da ferramenta continuarem chegando, é provável que ela impacte até em outros aspectos. Quanto a isso, vamos continuar monitorando.

Gostou desta história e quer saber mais detalhes sobre o bynd para empresas? Visite nosso site!

Compartilhar nas redes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Procurar

Guia de mobilidade corporativa.

Saiba como aumentar a eficiência e reduzir custos de transporte na sua empresa.

Assine nossa newsletter

Últimos posts

Mês de publicação

Leve o Bynd para a sua empresa ou universidade